sexta-feira, maio 16, 2008

Maria caminhou pelas alamedas do parque, sem saber como poderia deixar eternizado aquele momento. As imagens que via eram deslumbrantes. O perfume das flores das árvores, que estavam floridas naquela época do ano, lembravam de uma passagem biblica: "Árvores de suave perfume darão sombra à Israel". Ela se sentia como se andasse no paraíso...
Sorriu... o cansaço que estava não era de Paraíso e sim do mundo, mesmo... pois estava trabalhando demasiado.
Quando chegou em casa, resolveu dar um tempo para seu lado de "imitante de escritora"... e foi para frente do seu PC escrever alguma coisa. Seus amigos estavam a pedir. Dois deles em especial.
A noite estava calma. Nem frio, nem calor. Estava sozinha em casa. Uma noite de solidão... para quem se pensa só, por estar sem alguém fazendo companhia. Mas este não era o caso de Maria. Ela se sentia plena e tranquila. O sentimento de solidão está dentro de nós e não fora. Pois, para ela, o fato de estar só em casa era apenas uma situação temporária. Seu filho havia saído. E ela estivera a trabalhar, sem parar.
Falou com uma amiga, pelo MSN. Colocou alguns banners no ar. Agradeceu um mimo de uma amiga que fez um gesto magnífico para lhe ajudar. Pensou na vida... no futuro... mas sem sonhos nem quimeras, nem planos mirabolantes. Pensou... pois sabia-se confiante. Sem medos, sem dúvidas, sem traumas. Apenas tranquilidade.
Olhava para trás e via um passado que contribuíra, de alguma forma, para seu crescimento. Um passado onde as dores a arrastavam às lágrimas e ao triste lamentar de uma alma sofrida. Mas, na época, não sabia que tudo contribuiría para seu bem. Era falta de fé.
Olhou para o lado e viu sua inseparável amiguinha... a cachorrinha que abanava o rabinho e lhe fazia festas... queria atenção... queria brincar.
Era hora de Maria brincar, também, então.
E deixou-se levar pela casa, a correr e a sorrir...
Quem falou em solidão?...

by Miriam, num sábado à noite, outono... 2008

7 comentários:

MirMorena disse...

Porque solidão se temos a nós mesmos?...Não que isso tenha que ser uma constante, mas tem horas que estar sozinha é o suficiente...

Obrigada pela visita e pelas palavras

Feliz Final de Semana
Miriam

Isabel José António disse...

Cara Amiga Miriam,

Vim retribuir sua gentil visita e me deparei com este magnífíco texto sobre solidão ou sentimento de unidade.

Muito bem escrito. Com toda a sensibilidade e a atenção a todos os pormenores.

Se o mesmo pós das estrelas está na nossa constituição, como seres humanos, bem como está também nos animais, nas pedras, nas árvores, nas galáxias e em tudo o que existe, eu sou uno(a) com tudo o que também tem a mesma constituição e proveniência.

Estar, numa determinada circunstância, sozinho(a) é mesmo uma circunstância.

Claro que é bem bom partilhar o que somos, o que descobrimos com outros. Claro que esse facto (partilhar) nos acrescenta sempre algo. Por vezes subtil, por vezes coisa ténue, mas é esse leve acrescentar que faz toda a diferença.

Para partilhar (ouvir, escutar, compreender, sentir, etc., etc.) há que ter esses atributos desenvolvidos, afinados e activos. Pois, caso contrário, falamos apenas para nós mesmos. Então, mais vale estarmos sozinhos.

De facto nunca estamos sós. Tal como duas partículas quânticas que vibram sempre no mesmo comprimento de onda, onde quer que se encontrem (não há longe nem perto, nem distância, nem espaço nem tempo)também os seres humanos não estão sozinhos.

Um grande abraço e parabéns pela apuradas sensibilidade.

José António

impulsos disse...

Um texto que bem pode ser um relato autobiográfico de uma pessoa comum, inspirada no que a rodeia e nos sentimentos que a assaltam num breve momento a sós.
Claro que nunca haverá solidão, se não a quisermos encontrar!
Os animais são muitas das vezes, os nossos grandes companheiros de jornadas solitárias... estão sempre lá, a observar-nos e a ver quando é que lhe damos aquele instante de atenção que tanto querem e merecem.

Beijo

DE-PROPOSITO disse...

O perfume das flores das árvores,
-------------
O perfume que encontramos nas coisas, tem muito a ver com o 'nosso momento'. Quantas vezes algo muito perfumado, tem um odor que nos afasta 'para muito longe'.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

Nilson Barcelli disse...

A solidão está principalmente dentro de nós... concordo com esta ideia, que muito bem expressou neste excelente texto.

Beijinhos.

MªJosé M. disse...

Miriam,
Sobre estas tuas palavras ...
«« Cada palavra de vocês me anima, me faz feliz e me dá a certeza que não estou sozinha no mundo...
pois existem amigos, como todos que aqui passam, a me acompanhar e dar seu carinho. »»
Mesmo que não seja por aqui, decerto nunca estarás sozinha.
Obrigada pelo carinho e atenção, pelas tuas palavras e visitas.
VIVE!!

**
Bom ler Maria....

As palavras andam um pouco fugidias por este meu lado...
Quase não encontro as palavras certas para dizer de como fiquei feliz por ver que Maria voltou!!!
Gostei muito
Deus te Abençoe.

Beijinhos
MJose

Carla disse...

belas palavras em que é fácil revermo-nos
beijos de bom domingo