sexta-feira, outubro 26, 2007

Dolorosamente iguais...

Maria estava melhor. Havia passado por momentos difíceis... os quais ainda não haviam se solucionado. Mas a fraqueza se convertera em mansidão e retorno ao convívio da alegria e dos sorrisos.
Numa etapa tão difícil como a que havia passado - nada agradável -, ela se perguntava porque tudo era muito mais sofrido para determinadas pessoas e para outras a vida corria com mais calma e mais vitórias. Sua vida foi - e estava sendo - muito sofrida... lutas diárias, sempre "correndo atrás da máquina"
... e só.
Esta solidão, na qual ela se via sozinha na batalha, sem nenhum ombro ou ajuda, era o que mais a deixava triste. Pois "onde dois estão juntos, quando um cai, tem quem o levante"(bíblico). E este apoio, que tanto lhe fazia falta, era um sonho quase inatingível e quase impossível de ser "sonhado" no dia a dia.
Levantou de seu trabalho e, olhando uma revista, seu olhar percorreu algumas linhas onde assim estava escrito:
-"Pior solidão é aquela que sentimos quando estamos acompanhados".
Maria sorriu... a resposta estava ali. Mas nem precisava estar, porque Maria sempre foi só, mesmo quando estava acompanhada. Ela sabia muito bem o que queria dizer isto.
A música que escutava lembrava um final de semana se aproximando... ou ja em pleno andamento. E , mais uma vez, tudo seria igual. Tudo se repetia na vida de Maria, como se repetia o sol, ao nascente e ao poente. Os raios do sol, pelo menos, mudavam de tom e intensidade, dependendo do tempo, do dia. Mas os dias de Maria permaneciam iguais...
dolorosamente iguais...
infinitamente iguais...
sofridamente iguais...
Uma musica suave tocava, naquele momento... E Maria permitiu-se perambular pelas calçadas da mente, dançar nos jardins dos pensamentos... abraçar um amor imaginário e saltitar por entre arbustos e flores, cantando e encantando... levando em seus ombros o manto da alegria e da paz por poder sonhar... e era livre para sonhar.
Talvez tenham tirado tudo de Maria... mas não sua liberdade de sonhar. Não sua liberdade de "crer contra a esperança" ... não sua liberdade de saber-se triste por momentos, mas compreender que superaría a dor e continuaría a viver... a lutar...
e a vencer, em algum dia, em algum lugar...

ou pelo menos:
... em alguma coisa!

by Miriam, ainda em recuperação.

17 comentários:

DE-PROPOSITO disse...

-"Pior solidão é aquela que sentimos quando estamos acompanhados
----------------
E creio ser esta a pior. A pessoa sentir-se cheia de pessoas à sua volta, e simplesmente só. É que nem sempre a companhia, é companhia. E quem dá alguma coisa, pretende receber. Quero eu dizer: _Um almoço, nunca é de graça.
Fica bem.
Felicidades.
Beijinhos.
Manuel

John Lemmos disse...

Olá Miriam

Procurei o e.mail e não o encontro...
Espero que esteja tudo bem contigo como está comigo.

**beijo**

Maria Clarinda disse...

Estou aqui...basta um chamar!Irei correndo.
Jinhos mil.

Entre linhas... disse...

A solidão,doí,machuca,anda mais quano se está na presença de pessoas que falam para dentro,aí o silêncio é atroz...
Bjs Zita

Elsa disse...

Nós nunca estamos sós. Muitas vezes confundimos solidão com ausência... ´´e muito pior estarmos sós quando acompanhados, sentirmo-nos sós do que sentirmos solidão, que por vezes, eu acho, é um encontro interior com nós mesmo, com a nossa própria alma e que nos ajuda a (re)encontrar pedaços tantas vezes esquecidos.

Lindo Blog!

Mary disse...

Hoje, não sendo dos melhores dias para escrever, acabo por dar comigo, aqui...
Reli mas quase não seria necessário!

Um dia lembro que lhe disse:
- A Miriam é uma vencedora.

A fragilidade ou o ser-me mais sensivel não pode confundir-se com fraqueza.
Essa sua luta diária a engrandece e enobrece.

(Continua escrevendo.
É sempre bom ler estas suas crónicas de "Maria")

Beijinhos,
MJose

Maria Clarinda disse...

Passei de novo e continuo...esperando se necessário "you just call of my name..." Jinhos mil

Sol da meia noite disse...

Solidão... algo que nos acompanha.

Muito bonito este cantinho.
*

Charroco disse...

Olha o Pasquim do Charroco .
Quem quizer ver
comigo vai ter .

Boa semana .

Bia disse...

Ah, os dias de Maria sempre iguais... a música chegando na sua alma para lembrar de um outro momento musical... os sonhos de Maria... a esperança de que um dia todo o sofrimento acabe e que os dias possam se tornar iluminados... o desejo de ter alguém ao seu lado que a ajude a espantar a solidão... tantos planos, tanto ainda para construir... Ah, essa Maria que muitas vezes é um pouco de todas nós, e que muitas vezes nos traz um pouco do muito que guarda dentro de si...

Ficam pétalas perfumadas, amiga querida, fica um beijo no teu coração, fica o desejo de horas alegres a enfeitar os teus dias.

Nilson Barcelli disse...

... crer contra a esperança...
Já falámos disso, mas agora eu percebo melhor.
Excelente post cara amiga. Gostei.
Beijinhos.

Guilherme F. disse...

Gostei das palavras. Agradeço as tuas.
bj
Gui
coisasdagaveta.blogs.sapo.pt

alem do horizonte disse...

Sempre bom ler de novo.
Mas....
Aguardo pelas palavras que hão-de chegar - a seu tempo.
(Não demora...)

Beijinhos

DE-PROPOSITO disse...

Olá
Deixar uma saudação, e o desejo que a felicidade esteja por aí.
Fica bem.
Manuel

Maria Clarinda disse...

"...continuo aqui esperando um post teu...e sempre presente !
Jinhos mil

Guilherme F. disse...

Regresso, para degustar as palavras. Fico feliz com a mudança...
Bj
Gui
Ps.o problema no Perfil Blospot está resolvido!

PostScriptum disse...

Claro que estás à altura. Como sabes a inspiração vai, mas volta. Tb a tua há-de voltar.
Beijos