sexta-feira, setembro 28, 2007

Coração de pedra.

Seguidamente canto uma música que tem esta parte:
- "As vezes, no meu peito, bate um coração de pedra,
magoado, frio, sem vida, aqui dentro ele me aperta.
Não quer saber de amar,
nem sabe perdoar.
Quer tudo, mas não sabe partilhar..."
A continuação é linda, mas hoje eu fico apenas com esta parte.
As vezes nosso coração dói.. dói muito... vira pedra.
E acabamos por nos permitir que as lágrimas lavem nosso rosto. Mas, faz parte. Estas dores fazem parte da vida e do nosso crescimento.
E Maria, onde está?

9 comentários:

Entre linhas... disse...

Um rosto,uma lágrima...o coração por vezes deita lágrimas de sangue,abre-se em crostas.
Bom fim de semana
Bjs Zita

somentebia disse...

Neste momento a Maria deve estar abrigada dentro de tantas de nós, buscando (re)viver a mesma gratificante emoção sentida na doçura do olhar que cruzou com aquele estranho à entrada de seu condomínio...

Não deixe que a dor que te assalta o coração o transforme em pedra... não deixe, amiga! Faça com que as lágrimas que estão a escorrer pelo teu rosto encontrem abrigo no coração, inundando-o com pérolas de esperança.

Deixo-te pétalas lindas, coloridas, perfumadas, adornando os teus caminhos, junto de um beijo que te chegue de mansinho ao coração, e o desejo de horas doces, calmas, ensolaradas, a enfeitar os teus dias.

su disse...

A Teia forma fios de seda, tecidas a amor e carinho, quentes como o sol de Verão que ala dos céus lusitanos e afaga num abraço terno esse coração de pedra...que pode ser de gelo, e que se for também se pode derreter e voltara florescer a flor mais linda deste mundo, fazendo brotar as palavras deliciosas que aromatizam a blogosfera...que enternecem cm as mensagens de carinho e de esperança apelando sempre a um Deus protector...
Que Deus te ilumine e pegue esse teu coração lindo ao colo!

Beijos grandes aqui da Teia.

DE-PROPOSITO disse...

Não há corações de pedra. A não ser em obras de arte. No ser humano o coração é amontoado de células, sendo ele a máquina que irriga o cérebro de sangue, para que possamos pensar.
Fica bem.
Felicidades.
Um beijinho.
Manuel

Secreta disse...

O coração pode por vezes ficar de pedra , mas o tempo volta a amolece-lo!

Maria Clarinda disse...

Não o teu coração não está pedra, senão como poderiam escorrer pelo teu rosto lágrimas?
Força Amiga!
Jinhos mil

Anônimo disse...

Quanta sensibilidade menina!

Pedra preciosa?

poeta_silente disse...

Anônimo(a)!
Uma lástima que não tenhas deixado o endereço do teu Blog, para que eu possa passar por lá e ver o que escreves. Mas, com certeza, deves escrever maravilhas! Pois, em duas frases apenas, deixaste um sentido profundo da análise que fizeste.
Realmente, tens razão. Sou extremamente sensível. Talvez pelo fato da minha inclinação artística, talvez pelas vivências que tive. Mas, creio que seja uma característica nata.
Obrigada pelas palavras. E pelo elogio. Afinal, todos exultamos ao sermos deifinidos como "coração de pedra preciosa".
Deus te abençoe!
... e te desvenda para que eu possa participar dos teus cantinhos, onde escreves... pois tenho certeza que escreves... e muito bem.
Caso ainda não faças, estás intimado a iniciar.
Beijos
Miriam

Mary disse...

E Maria onde está???
Entre essa lágrima frágil e o sorriso de Mulher determinada e forte que sente a dor mas logo passa!!

Minha Amiga, permite que faça aqui um trocadilho?!

Uma outra versão...
" As vezes, no meu peito,
Quase pára o coração,
Magoado, dorido,
por momentos de Vida,
em desilusão.

Diz não querer mais Amar
Mas sabe perdoar e cantar.
Tudo? Nada pede, apenas sabe partilhar..."

Hummmm....
Hoje até eu chego por outro caminho!
Mas com o carinho de sempre,
Beijinhos