segunda-feira, maio 21, 2007

Só...


Só.
Sem forças...
Sem vontade...
Sem ânimo.

Quero:
- descansar!

Só.
Ausência...
Abandono...
Lágrimas....

Quero:
- descansar!

Só.
Peso...
Responsabilidade...
Vazio...

Quero:
- descansar!

Só.
Pedra.
Dor que mata.
Dor...


Quero:
- descansar!
             Só.

5 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Às vezes, mais vale só do que acompanhado...
O seu poema é triste, dorido, mas ao mesmo tempo muito bonito.
Gostei.
Beijinhos.

Nilson Barcelli disse...

Bom fim de semana cara amiga.
Beijinhos.

além do horizonte disse...

Olá Miriam,

"Só.
Sem forças...
Sem vontade...
Sem ânimo.

Quero:
- descansar!"

Por vezes há este sentir-se só! Acontece a todos nós ao longo da nossa vida.
Mas continuará a encontrar em si a força necessária para recuperar esse ânimo e vontade de seguir pela vida, encontrando motivos para sentir tranquilidade, paz e alegria, entre muitas outras coisas!
Tudo de bom,
Beijinhos,
mªjose

DE-PROPOSITO disse...


...........
Quantas vezes não estamos acompanhados, e nos sentimos só. E o facto de por vezes se falar em altos gritos, poderá ser uma maneira de 'ocultar' a solidão.
Quero que fiques bem.
E a felicidade por aí.
E deixo beijinhos (dos fantasiosos).
Manuel

madrugada disse...

Poema de arrepio,
que estimula...
que incentiva...

a lutar
por nós,
para que tenhamos
a iniciativa

de não descansarmos
SÓS.

Lindas as suas palavras.