sexta-feira, maio 11, 2007

Hoje não é Maria... hoje eu mesma falo contigo.

Há muito tempo atrás, quando comecei a escrever aqui no Blogspot, no meu Blog cujo nome é Tratos e Poesias, eu estava ligada a ti. Por um imenso amor...
A dor me acompanhava. Havia perdido tua atenção, as tuas palavras - por vezes em telefonemas, por vezes no MSN, por vezes escritas em e-mails. Fazias parte do meu mundo, da minha vida, do meu coração. E isto havia acabado de uma forma brusca, sem me dar tempo de acostumar com a idéia de perda.
Esta música que toca, especial para mim, mostrava toda a minha tristeza, e todo o grito da minha alma, ante tão inesperado fim. Um fim que havia chegado quando eu pensava no grande início... quando eu pensava em ter tuas mãos tocando nas minhas. Teu corpo, enfim, aquecendo meu corpo. O encontro sonhado... olhos nos olhos... e a concretização do que sempre esperávamos, conforme assim pensava.

Escuta a música... escuta como o grito vai, aos poucos se desvanescendo... e acaba... e a música começa, novamente com calma... a tocar... até que, num "gran finale" a suavidade se faz presente... Sim...porque nada mais há a fazer... e termina.

Assim foi meu amor... assim se mostrou todo o sentimento que te dediquei. Depois do grande grito, o "gran finale"... em tudo, igual à música. Este grande grito foi dado aqui, neste Blog. Este grande grito me rasgou o peito e me fez chorar, convulsivamente... como a música... Defini-o como um momento "enlouquecidamente triste!"
... e adormeci... e acordei... Meus olhos estavam inchados demais... meu rosto estava deformado. Olhei-me no espelho e vi que havia acabado. Não eu... não o que acontecera... mas o sentimento!
Hoje, caminhando na rua, com o vento frio a tocar-me o rosto, tentei entender o que havia mudado em mim. Mas não consegui... simplesmente havia te esquecido. Não esqueci a tua pessoa. Claro que não. Não esquecemos o passado, nem as pessoas que foram, de alguma forma, importantes para nós. Mas, havia mudado o sentimento... meu amor acabara. Simplesmente, acabara.

Coloquei esta música aqui, porque minha querida amiga, MJ me falou dela... e fui escutá-la. Lembrei que fora a primeira música do meu primeiro Blog... lembrei o passado. E resolvi te dizer adeus.
Sei que não vais ler este post. Sei que nunca vais tomar conhecimento dele. Mas, aqui está. O fim de um amor, regado a uma suave melodia tocada por um belíssimo piano.
Acabei de sorrir... não tenho mais nenhuma dor. Ainda estou sorrindo... A vitória predita aconteceu. A oração foi ouvida. E a graça foi dada.
Agradeço a Deus por teres passado pela minha vida e me ajudado tanto. E porque, hoje, estou livre da dor da perda. Afinal, nem penso como perda.... mas, sim, como VIDA.


by Miriam, agradecendo a Deus pela graça recebida, por meio da oração.

5 comentários:

DE-PROPOSITO disse...

Olá.
Tudo é efémero na vida, até a própria vida. A NET é algo efémero, basta que a pessoa não pague a assinatura, a conexão é desligada, pode o computador avariar, pode vir um vírus, apagar todos os propgramas, enfim um sem numero de coisas. E tudo isto para nos capacitarmos de que tudo é efémero. O amor,o dito AMOR, também é efémero, até o amor dos deuses (eles também vão de férias), só assim se justifica que aconteça mal a crianças (ou então os deuses estão a dormir, ou a namorar, esquecendo os terrenos). Disse namorar, porque namorar é bom. Quem não gosta de namorar. O namoro é o princípio 'do fim'. Para se namorar tem de haver alguém receptivo, alguém do sexo oposto. O namoro não se compra, embora haja quem queira fazer do namoro um negócio. Coisas do 'arco da velha'.
Bem, fico por aqui.
Um beijinho para ti.
Manuel

além do horizonte disse...

Minha amiga,
Nem sei bem se encontrarei o jeito certo para comentar este seu post.
Na Vida há Amores que nos acompanham por mais ou menos tempo.
Quando vividos a dois, situações há em que os caminhos seguem rumos diferentes...
Ficam todos os sentires de ausências, silêncios, talvez solidão...
Conseguiu ultrapassar a mágoa!

A vida segue porque nas perdas também se ganha algo para nós mesmos ( Renovamos e/ou descobrimos a nossa força interior que nos torna capazes de ultrapassar situações de vida, sejam estas quais forem).

E a Vida , Míriam, passa também por tantos outros momentos , gestos e atitudes que temos, fazemos ou recebemos...
Não se centra apenas numa relação a dois. E eu sei que está consciente disso.
Admiro a sua frontalidade no modo como escreveu e assumiu este seu sentir.
Se o devia guardar em vez de o partilhar??? Pois isso é uma decisão pessoal e eu respeito-a.
Um Amor pode "acabar" mas a capacidade de Amar a Vida, essa permanecerá!

Tudo de bom.
Beijinhos e um :)
mªjosé

John Lemmos disse...

A vida tem felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana. E esperança suficiente para fazê-la feliz. As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas. O mais importante
é viver. Portanto VIVE
Gostei muito do que li.
**beijos**

madrugada disse...

Miriam,
mas que admiravel forma de ser.

o alquimista disse...

A vida é um fogo fátuo...

Os teus pés são navegantes na espuma, o teu cabelo dança em descuidada ironia, suave viagem de ondulante onda em tua boca, duas sílabas sopradas em mágica melodia…

Bom fim de semana

Doce beijo