quinta-feira, janeiro 04, 2007

Minha despedida de 2006

No penúltimo dia do ano de 2006, sentei-me e escrevi o que transcrevo abaixo. Por ser especial, está neste Blog "especial" do Noites de Verão. E o estou publicando numa tardinha de verão. E que verão! Quente demais.
Pois, eis que aqui deixo esta manifestação de um sentimento que me acompanhou durante os dias que estive longe da minha cidade. Eis aqui:


Fim de Ano! Início de Nova Vida!

Hoje, penúltimo dia do Ano. Dia 30 de dezembro de 2006.Estou numa casa onde, outrora, morei... Onde, outrora,vivi algum tempo. Onde me estabeleci, após mudança de cidade, num ambiente físico reformado e aumentado, conforme um planta feita por mim.
Um tempo dividido entre a esperança de uma nova vida, com a família unida, e a sensação de derrota e perda, que toda separação causa.
Hoje, aqui estou. Sentada no escritório... digitando este novo post.
Estranho como podemos nos sentir "estranhos" num lugar que, antigamente, era a nossa casa, o nosso lar. Daqui saí, em estado de choque, procurando abrigo na residência da minha mãe. Para cá voltei, após a separação, tentando viver uma situação de paz e solidão. Mas uma solidão pela qual esperei durante 23 anos.
Sei que já vivi muito. Que já passei muito... Que minha idade é a idade de observar em silêncio e tirar as lições que a própria vida nos dá. Mas, hoje, aprendi a mais nova lição. Que o passado tem que ser "passado". Que devemos nos desligar de locais da mesma forma como somos obrigados a nos desligarmos das pessoas que fizeram parte da nossa vida e não mais o fazem.
Interessante como, comigo, aconteceu a vivênvia do luto de forma incompleta e trocada. Desliguei-me da pessoa, mas não dos lugares. Desliguei-me do sentimento, mas não do espaço físico onde vivi com meus filhos.
Hoje estou aqui, a me sentir um peixe fora d'água. Hoje, penúltimo dia do ano de 2006, e eu, com meu "insight", a tomar nova direção na minha vida. Que inicía com o Ano de 2007.
A melancolia se fez presente desde que aqui cheguei... numa cidade que me deixou marcas profundas.Sequelas eternizadas pela própria vida. Marcas que me acompanharão sempre. Mas que, de alguma forma, foram os tijolos que precederam a minha nova contrução. Porque somos construídos, a cada ano, pelos materiais que a vida nos vai acrescentando.
Hoje, eu aqui... onde vivi. Hoje, eu com vontade de voltar para meu cantinho, para minha cidade.
Um Ano Novo se aproxima. Uma nova vida me espera. E sei que esta nova vida vai me afastar, cada vez mais, deste lugar, desta cidade. E nela, se voltar, será para vivenciar novas experiências, em novos locais.
Espero que, se daqui a 1 (um) ano eu cá voltar, seja em par. Com um novo Amor, com uma nova pessoa, com uma nova vida. Porque, hoje, eu percebi e me permiti viver novamente...um Ano NOVO, uma Vida NOVA.
Feliz Ano de 2007 para todos. Que as bençãos de JESUS se derramem a cada dia, formando um Ano completamente FELIZ e PRÓSPERO.


by Miriam... ainda melancólica pelo lugar, mas iniciando... sempre iniciando.

5 comentários:

Göttlicher Teufel disse...

bom ano

soul&body disse...

cara miriam, adorei o teu texto, a forma escreveste, percebe-se muito bem!! mas fico triste tb pelo k se passou, o tempo vai ajudar-te...um abraço.

second thoughts disse...

Este mundo virtual é sem-duvida fantastico e cheio de óptimas surpresas. Dediquei a minha tarde a descobrir um mundo no qual ja me tinha inserido há algum tempo, mas o qual nunca tinha explorado verdadeiramente: o mundo dos blogs. Por entre blogs com e sem interesse, aqui vim parar. Ao ler este post identifiquei-me desde logo com o estado de espírito que levou a palavras tão sentidas e comoventes. Completamente alheia ao acontecimento que causou essa "saudade", espero que este novo ano traga dias muito risonhos.
BOM 2007!

Nilson Barcelli disse...

Admiro o seu sentido positivo da vida.
Oxalá daqui a um ano tenha mesmo o seu novo amor.
Beijos.

Carlos Henriques disse...

Olá Miriam
Entendi perfeitamente o teu estado de espirito. A forma como descreves "o penúltimo dia do ano" tocou-me, que fiquei sem ter palavras para dizer o que quer que seja.

**beijos**