sábado, agosto 05, 2006

4 comentários:

antonior disse...

Olá, minha Amiga!

É um grato prazer voltar a este convívio. Tu sabes!

Vejo, Miriam, que este tempo que passou também foi especial para ti.

Neste verão que atravessamos, num magma ardente de convulsões e transformações, pergunto-me o que se esconde na face escura da Lua, que nos mostras neste post, e o que se oculta na zona iluminada em que a Luz nos cega. Só conseguimos ver aquela estreita faixa, ao alcance dos nossos olhos. Tal e qual como no nosso quotidiano vulgar....

Beijinhos

poeta_silente disse...

Amigo!
Que bom que estás de volta. Que bom que aqui estás, e, também, lá no Tratos e Poesias.
Vou fazer um post com a resposta para tua pergunta. OK?
Beijos
Miriam

Nilson Barcelli disse...

Não me tinha apercebido que tinhas outro blog.
Vou ler para cima...
Beijos.

su disse...

...discreta como a lua...cativante com suas palavras como a sua luz...vim de mansinho e retiro-me d emodo igual...mas gostei d ete ler...como gosto sempre.
Sabendo que a face da lua que vemos...no fundo, independentemente do aspecto que tenha, é sempre a mesma!

Um beijo em fio...